Como está a nossa primeira família

Muita gente nos faz essa pergunta e morremos de orgulho de contar a história da família da Tajiris e do Hector.

Eles foram interiorizados pelo Refúgio 343 em 20 de junho de 2019, Dia Mundial dos Refugiados, quando ainda nem imaginávamos que nos tornaríamos uma organização humanitária. Vieram para São Paulo para recomeçarem a vida em seu novo lar, na casa de número 343.

Quatro meses depois, a família de Tajiris e Hector já estava independente: crianças na escola e adultos empregados, responsáveis por todas as contas da casa. E assim eles seguem até hoje!

A família está tão bem que já conseguiu, inclusive, trazer outros quatro parentes que estavam passando dificuldades na Venezuela para morar com eles em São Paulo.

Seja você também um acolhedor e nos ajude a oferecer lares e recomeços para os refugiados venezuelanos no Brasil. É só clicar aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *