“Deixei minha mulher grávida e nossas 2 filhas pequenas na Venezuela para conseguir um emprego no Brasil que pudesse alimentá-las”

Richard trabalhava com funilaria e pintura na Venezuela, mas com a crise o negócio deixou de dar lucro. Ele passou a vender frutas na rua para completar sua renda, na mesma época em que a mulher engravidou do terceiro filho.

Mesmo com dois trabalhos, o dinheiro já não era suficiente para alimentar a família. Decidiu então migrar para o Brasil para tentar uma oportunidade de emprego. Para proteger a mulher e filhos dos desafios da jornada migratória, deixou-os na Venezuela.

Em Roraima, conseguiu trabalho em uma fazenda. Trouxe a família para ficar com ele, mas nunca recebeu o salário a que tinha direito. Acabou na rua até ser abrigado no centro de acolhimento São Vicente 2, onde o Refúgio 343 mantém operação.

Você pode ajudar! Clique aqui e seja acolhedor de uma família de refugiados venezuelanos que busca recomeçar no Brasil!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *